Musics....

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Um raio de pensamento...

E são nesses lampejos frenéticos
Que eu me descubro em teu olhar
São devotos, religiosos e céticos
"nada " natural se "tudo "se misturar


Sair desse meu casulo cibernético
Não! Nem cogito essa idéia
Vai ser nesse canto poético
Que contarei minha Odisséia



Nesta pagina primeira
O parágrafo é todo teu
A prosa seresteira...
A viola de meu "Deus"


O capítulo se acabando
E nada da rosa desabrochar
Um mi menor de Caetano
A história vai se arrastar...


Pena esta figueira
Que somente doces pode doar
Quem não provou do Figo
Nada pode declarar

E neste finito canto
Onde a areia encontra o mar
Conto um pouco deste pranto
Para nunca mais pra trás olhar

3 comentários:

jackeline disse...

Será que a vida se resume somente em: poesia e "modernidade"? E a magia dos tempos? o Feitiço do amor? A vida tal qual o Sol, a serenidade da Lua cheia...

bjs miga

Jorge Teixeira da Costa disse...

Adorei a imagem do violão.
De muito bom gosto.
Se tivesse o dom que tens.
Escreveria alguma coisa sobre seus olhos.
Mas o raio da inspiração, afirmo não é para todos.
Abraços.

Anônimo disse...

Um casulo cibernético com um quê de mistura. Um violão que abraça o carente em pleno ar de abandono e o sentimento misturado na reflexão de Caetano. O amor me pegou e eu não descanso enquanto não pegar aquela criatura. Belo texto.