Musics....

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Sonhos de Helena (Caris Garcia)

Sonhos de Helena 
(Caris Garcia)

Ilustração: Teigi Hirae



















A bandeira que você içou ao meu lado
Nunca mais soltou, nem partiu
Tantas expedições poderiam ter te abalado
Vencendo todas, para mim voltou e sorriu

A beira da montanha sombria
Enterrei meu tesouro precioso
Nada chegou tão perto nem a dúbia alquimia
Afastando de vez, o inimigo astucioso!

Em mim, apenas restou uma gota
A qual você jurou proteger
Nunca sofremos sequer uma derrota
Nenhum desafio gigante a nos abater

Porque só você me decifra
Todos os códigos mais recônditos
Já fora rei, comandante e califa
Oh! Puro sangue, brilho bendito!

Sinalizavam as trombetas
O momento se aproximava
Dragões e o casulo da borboleta
Ao som de Mozart, a sinfonia oitava

Guerreavam o bem e o mal
Numa valsa quase romanesca
Era possível ver lentamente o final
A flor exalando perfume e a fruta ainda fresca

Onde há a propensão do equilíbrio?
Quando sua veste em sangue derramava
Não havia cantos nem adágios malditos
Vitória! "Esta batalha, acredite, você desbrava! "

Havia um propósito tão maior
Que se rebelava único e sensato
Impedir as tempestades de Thor
Transformar portais e dimensões em mito e boato

Minha alma já sabia no fundo
Que um navio fantasma, seria
Um suspiro, um sopro no mundo
Sem descanso, à noite em vigília

Sem âncoras, castelos, nem portos
Viverei na fuga da chama eterna
Só em ti acharei o único conforto
O teu vinho, dentro da sagrada esfera

Para proteger o segredo
Do maior mistério não revelado
Desprendi-me de todo o medo
Até meu espírito, deixei abandonado

Por fim a humanidade alienada
Ficará salva do perigo sempre iminente
Deixarei minhas lágrimas na sua calçada
Afogando-me em seus rios e afluentes

=============================

https://www.youtube.com/watch?v=5LoSYG6661Q



2 comentários:

Yehrow disse...

Olá Caris!
Esta ponte ao mundo dos sonhos é infinita, mas as distancias nelas são encurtadas. As palavras em uma de suas funções formam um elo, e mais ainda colorem de arco íris que somente os olhos d'alma veem. Comparado aos jardins floridos as suas poesias são as flores que pontuam os campos em todas as suas matizes. E quando despertas o lúdico, um fantástico mundo épico se descortina nesse teatro onde os Deuses vivem entre nós mortais e vivemos com estes suas paixões... Suas poesias possuem o encantamento e a magia tecidas em ouro e encrustadas no mais fino cristal! Joias raras... Aqui em nosso "Universo", os "Sonhos de Helena" já havia lido e relido. Voltei para apor o humilde e modesto comentário. Não tão digno, porque esta bem aquém daquele que realmente merece pela originalidade, apuro e profundidade.
Abraços poéticos!

jackeline disse...

Cativante! Instigante! Emblemática! Por "uma gota", a resposta de todo um ser diamantado. Em sua poesia, gerações imbuídas em prol de um grande amor, descritas nesse pequeno poema... pequenas palavras, mas de grande simbologia que só interessa a quem trilhe o nirvana - dentre tantas almas!
Amei a poesia amiga!
Bjss