Musics....

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

O enigma da terceira flecha (Caris Garcia)

O enigma da terceira flecha
(Caris Garcia) 
Ilustração Teigi





















Mariposas ao chão pousadas
A tropa de selvagens corcéis
A metamorfose das antigas jangadas
Seu navio mercante, meus anéis

Trilogia de submersos canais
Tribo dos dilúvios da constelação
Desembarcam na pirâmide do seu cais
A guerra de anjos e o dragão

Marchas que retornam ao mesmo lugar
Ali, onde a moeda foi jogada
A promessa repetida sem cessar
Peregrinos sem descanso nem pousada

No poço fundo das lamentações
Na resposta errada para a pergunta
No dorso de exércitos de leões
O óleo sacro na terceira visão unta

Das possibilidades ao infinito
A etérea mistura que não se esconde
Na arte que expressa apenas um grito
O puro coração ? Onde ? Onde ? ...

 Revela sua face ao cosmos milenares
Convoca, conjura e é respondida
Povoando de melodia dimensões e os ares
Neste labirinto não há saídas

Milhares de abelhas para a colmeia
Tudo foi tocado, a estrutura inteira
O elemento chave é a filha de Hermes, Medeia
A epopeia contada na sombra da clareira

O caminho é o mesmo, o passageiro não
Selos quebrados em juras desfeitas
o néctar roubado na essência da negação
Aguarda temeroso a próxima colheita

O que esperar da mistura tão antiga
Alquimia e fórmulas cravadas em rochas
Nos troncos foram gravados nossas cantigas
Festivais de cântaros, tambores e tochas

Morrer é viver na bravura de todos os segundos
No ato de coragem que é respirar
Um passo de cada vez... Avante! Próximo mundo
Que venham os elementos fogo, água, terra, ar...

O compasso dessa dança, só eu que faço
Eu sou você. Você sou eu.

https://www.youtube.com/watch?v=a7vJll8N8Yc

2 comentários:

José Valle Valdés disse...

Me resulta un poema bien logrado, amiga. Sugiere mucho con su interesante discurso.

Abrazos

jackeline disse...

oi miga

sim! Sentimento da certeza do amor eterno, é uma constante em quem são indissolúveis! São como gêmeos; siameses, no popular: dedo e unha! E se, sente que uma Era finda, "Eras" são "apenas vírgulas" num infinito!

bjo

jacke