Musics....

sexta-feira, 3 de junho de 2016

O lanceiro e a temperança (Caris Garcia)

O lanceiro e a temperança
(Caris Garcia)
Ilustração: Teigi Hirae



















Desde a primeira luz quase neon
Quando o acorde é tocado ainda prematuro
Na magistral formatura de tons
Rendida a teus encantos mais iluminados e obscuros...

Dos estalos adocicados com firmeza 
de teus chicotes tão felinos 
Como leões devorando suas presas 
Em notas que fortalecem o peregrino...

Oh! lanceiro! Homem do meu destino
A fada, a mulher da temperança 
Entrelaçados nos afagos de um velho violino
O olhar para alma que não se cansa

A estrofe chega como flores eclodindo o grito...
Expansão em estufas vitorianas sem lamentos
O reino do abstrato, peculiar conflito 
Com o mais concreto dos sentimentos...


...Os "sete" sentidos mais puros...
Percorrendo nossas estradas...


Voando por horizontes e dimensões 
Rompendo todos os sacrifícios 
Atravessando os portais das estações 
Para o amor, em placas tectônicas, proclamar o início...

Ignorando títulos e nomenclaturas 
Pairando nos ares de secretos jardins de inverno
Mantendo a salvo o núcleo da essência!Sem ditaduras...
Retornando para comitivas do paraíso ao inferno...

...Onde as estrelas apenas nasciam e cintilavam...Observá-las era uma dádiva ...

Cruzamos oceanos em frações do pensamento primitivo
Não há limites impossíveis para nossas travessias
As primeiras das infinitas chances, o tom decisivo...
A radiação perfumada, mesclada na tua sabedoria...

Nosso trono talhado na árvore antiga 
Aconchego leve, brisas de outono 
Um rouxinol nos trazendo a velha cantiga
As folhas no chão, a terra o tronco, o sono

Nosso lar, o planeta inteiro na xícara de café...
As lágrima dos oceanos nos beijando 
os grãos de areia, nossos pés
Tempo sem guerras, nem bandeiras girando 

No mapa da minha existência 
O Rio Nilo desenhou minhas cicatrizes 
As dimensões são medidas na essência 
De quão próxima ou distante estou de ti, minhas raízes...

Ah! Este amor eterno e atemporal 
Onde até o meu reflexo é o teu ...
Forte, invencível e Imortal
A saga de Julieta e Romeu...

O que eu sou , fui ou o  que eu vier a ser
Sofrerá influência direta até do bater de asas mais sutil de seu olhar direito ...


https://www.youtube.com/watch?v=gZKKjfYZR64

Um comentário:

jackeline disse...

O amor atemporal... disse tuuuudo minha amiga! Se estamos "ligados" ao outro de qquer forma: natureza e espiritual, nada, naaada neste mundo os desunirá! Nem mesmo as eras!
Parabéns amiga, agora entendo do por que da demora de novos textos, qdo vc os faz, faz com maestria! Que posso dizer? Maestrina poetisa! Amooo.
bjs Jacke