Musics....

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O Sementeiro (Caris Garcia)

O Sementeiro

(Caris Garcia)

As vezes tua dor fica assim, tão distante...
o impossível que chega intrinsecamente vibrante
uma perspicácia tão púdica quanto infame
a vida se sobressai nos clarões do ditame

Onde preparar tal tese se o composto já é tão duvidoso?


Ativo este, que certeiro os passos caminha à frente
Todavia te impulsionas em desafios constantes...
Caminhos que circundam a existência ignescente...
Navios cheios de ideais livres e remos não condicionantes

Ávido talvez em preparar tua semente, árvore e rede futuras?


Paira na sombra das velas, após desgaste último e certeiro
No brasão de tua alma, perfídias são inexistentes
Distribui o teu melhor, em justas porções, o sementeiro
Carrega apenas a bússola, sua fiel assistente.

Era o porvir, regado de iluminação e branduras?

Nada é inútil para este ambidestro perfil
De tão escasso o destemer, fica à mercê do ocioso
Entretanto a bandeira que hasteia é varonil
E coisa alguma priva ou limita este vitorioso

A lapidação parte apenas de um quesito: Querer?

Sem onde ou porque, a metamorfose segue distraída,
a vida desabrocha em jardins da pétala mais púrpura
Quiçá a mais perfumada, perfeita e sortida
Dito isso, jaz o jargão da canseira e travessura

E todo o brilho e inspiração de criar se recupera...Recupera?

Ah... Doces momentos, as eternas reflexões de sabedoria
Um pensar que nasce nas pausas dos segundos
Perduram por horas, dias...Meses profundos...
Com um grão de areia abastece o cesto da cavalaria

Afastado de teu continente, te transformas em ilha ou alças vôo?

2 comentários:

Fernanda disse...

As suas sementes onde estao? Bjssss

jackelinecollor disse...

Mesmo no mar, há caminhos nele! Sementes são a continuação de uma vida limitada pelo tempo. Quem olha o próprio umbigo, não olha o horizonte e não vê a semente brotar. Perde-se o brotar, perde-se o tempo.
Quem não leu as suas poesias, não viu as sementes brotarem...
Bjs miga.