Musics....

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Aurora (Caris Garcia)

Aurora
(Caris Garcia)

O sol mal havia se espreguiçado
Anunciando tua chegada de terras abissais
Na mão direita teu velho cajado
Na esquerda os murmúrios e ais...

Ouviu o cântico do sabiá te saudando?
Novos tempos na dimensão criada
Somente a minha voz te chamando...
Não há atalhos nessa jornada!

Novas vidas repletas de esmero
Na luz da Aurora sempre apaixonada
Sem voz alguma, o grito: Quero! 
E do coração retiras a tua espada

Brilho e Claridade, meus doces sentinelas
Conjurando aos ventos do leste
Pintarás comigo a branca e nua tela!
O portal se abrirá! Da armadura do amor se reveste...





sábado, 14 de novembro de 2015

Minha rota (Caris Garcia)

Minha rota
(Caris Garcia)



Quando volto a olhar para dentro
serpenteando as lembranças
Banho-me em águas do renascimento 
Distribuindo o sorriso de criança 

Descarto toda a tristeza
E te vejo me restaurando 
O amor existe! Tenho certeza!
Coloque nossa bandeira no comando!

Uma construção sutil e pura
Lentamente abastecendo a esperança 
A promessa minha e a aliança tua
Entramos juntos nesta dança 

O toque, o olhar, os sentidos
A brisa leve, o ar mais puro
A descoberta do elo perdido
Desistir jamais ! Eu juro!

Castelos, terras e montanhas
Países, vidas, épocas tão remotas
Caravanas, vitórias e tuas façanhas
A tua direção sempre foi minha rota

Ressurge na íris todo o brilho 
O meu abraço dado ao mundo inteiro
A força do trem do destino fora do trilho
Venha! Dê a moeda ao barqueiro!


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Vale! ( Caris Garcia)

Vale! 
(Caris Garcia)



Vale a pena viver, vale!
Dar o próximo passo e subir
Vale a pena dizer, vale!
O soneto do Paraíso, puro elixir ...

Vale, ainda vale...!
Ouvir a nossa velha história...
Vale, ainda vale!
Sentir a esperança dos dias de glória 

Ainda vale!
Suspirar e sentir a ascenção da travessia
Ainda vale!
Transformar gotas em sinais de alquimia

Ainda vale lembrar do sonho...
Despertar com outro semblante 
Passar o dia com ar risonho
Citando alguma estrofe de Dante

Vale!
Querer a volta de tons primitivos
Suspirar  pelo amor verdadeiro 
Saber que o sentimento está vivo...
Lembra do papel, selo e o mensageiro?

Vá! Ali ! Veja...
O sol que entrou na janela do seu quarto...
Mostrando na lua a tua oculta face...
Revelando a verdade de nosso trato...
Não há no mundo o que desfaça esse enlace...

Vá ! Ali e veja !
O amor não morre jamais...
Ele apenas cresce no infinito
Maior que eu e todos os sais...
Releia o nosso manuscrito!

Sem querer, o amor se revela...
E revelando se purifica em nós ...
Nesta surreal avenida paralela 
Onde somos uma nação e do amor porta-voz...

Vale dizer que " Depois de tudo ainda ser feliz..."!
"Vale... Vale tudo!!! "Assim se dizia...
Beijando-te com bala de anis
Buscando aquela antiga melodia...

Amor! "Mostra a tua cara ! 
Para ver quem paga, pra gente ficar assim..."
O banquete de Platão, na mesa, prepara!
Venha queimar teus incensos em mim...
 
Vale...
 Ainda vale dizer que te amo...
Derrubar-te nas flores no campo ou na rua 
Dizendo que toda poesia é tua 
É nos altos que proclamo...


"A paz invadiu o meu coração ..."





sexta-feira, 6 de novembro de 2015

O amanhã de sempre (Caris Garcia)

O amanhã de sempre
( Caris Garcia)

O "sempre" na roda da vida
Borda a gratidão na sensibilidade fascinante
Depois da batalha... Armadura amadurecida
Constante movimento no tabuleiro do Comandante

O mesmo pranto da entrada é o sorriso da saída...
Traz tanto alívio que sufoca o viajante 
Balança equilibrada na justa medida
O canto da paz interna, quase delirante

Existirá no presente o tal melhorado?
Há o postulado da razão e emoção ...
Como se o amor pudesse ser mais abençoado 
A entrega na plenitude da ação

Raízes unidas, lado a lado
Futuro sorriso do sim e no hoje semente
Sonhos e castelos no cavalo alado
A pureza do ar que enriquece a mente

O amanhã certamente existe!
Arrisque um segundo nele pensar 
Não viver o presente é um respirar triste...
Assim como uma dança sem seu par...

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

A Orquestra ( Caris Garcia)

A Orquestra

(Caris Garcia)




A esperança, a regente da Orkhéstra

Um dilúvio e a arca angelical

A harpa dos elementais na floresta

Um ponto na vida. Reflexão existencial...


A ponte, as cordas do violino e violoncelo 

Horizonte de pássaros beijando os ventos

O último discurso de Sócrates: seres paralelos

O chafariz mágico do renascimento 


A aliança, a maestrina e o maestro

Triângulo divino da temperança 

O gesto puro, pacífico e honesto

E a memória nítida de herança 


As partituras, é o sopro divino

As ondulações perfeitas entre você e eu

"Ora et labora" em tom beneditino

Assumindo as habilidades de Morpheus...