Musics....

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

O RENASCER DA VIDA

O RENASCER DA VIDA

ALAGO TODA A TRISTEZA DO MUNDO
REFAÇO AS LINHAS DO HORIZONTE DESTRUÍDO
ASSOPRO TUFOS DE ALGODÃO AO VENTO
RECRIO OS ANIMAIS AQUÁTICOS EXTINTOS
DISTRIBUO AS SETE CORES NAS ASAS DE UMA BORBOLETA
RESPIRO O AR PURO COMO UMA CRIANÇA ADORMECIDA
ILUMINO OS POSTES DA RUA CHAMADA VIDA
SEPARO OS OCEANOS DA DISCREPÂNCIA
PLANTO AS ÁRVORES DO ALIMENTO
SEMEIO A TERRA NOVA COMO O ÚTERO DA NATUREZA
RANCO AS ERVAS PODRES DA TIRANIA
ABRAÇO OS URSOS MANSOS DA MONTANHA
ME ACONCHEGO NA CAVERNA DE UM TIGRE BRANCO QUALQUER
E ACARICIO AS DIGITAIS DO SEU DORSO QUENTE
DIVIDO MEU SABER CONSCIENTE
DEITO NA ROCHA FRIA E ADORMEÇO
DESPERTO COM A LUZ DOS RAIOS DA ESTRELA MAIOR
PISO NA TERRA MORNA E MACIA
ERGO MEUS BRAÇOS E TOCO A COPA DAS SERINGUEIRAS
OLHO PARALISADA A NEBLINA FINA
QUE COBRE TODA O ALTO DA FLORESTA
ME PERMITO DEGUSTAR O DOCE PÊSSEGO AMARELO
TIRO TODO O AÇÚCAR E LANÇO AO MAR
NA CERTEZA QUE O SORO DO RENSCIMENTO
JORRARÁ NAS BICAS DA EVOLUÇÃO HUMANA

ONZE DE FEVEREIRO

ONZE FEVEREIRO

(CARIS GARCIA)

ALÍVIO DA GAIOLA VAZIA
PINTURA SEM BRILHO
TOSCO PÁLIDO, TREM SEM TRILHO
GUERRAS SEM SENTIDO
RÉGUAS CARTÕES E ALAS
PARA TUDO EXISTE RAZÃO

LIBERDADE METÁLICA
E A SENSAÇÃO FALSA DE CHUVA
BOLSAS QUE DESOBEDECEM O PADRÃO
PAÍSES QUE DESENVOLVEM PARA O CHÃO

MOBÍLIAS E IMÓVEIS QUEBRADOS
TETO E LUZ DA ESCURIDÃO
SONHOS SENTADOS NA AREIA,
SENTIMENTOS SENTADOS NO CHÃO

VARIÁVEIS E NÚMEROS CALCULADOS
DESPESAS GASTAS INUTILMENTE
DINHEIRO QUE ENTRA HONESTAMENTE
DINHEIRO QUE SAI PELO PORTÃO
E QUEM CONTROLA O CARTÃO?

PRESIDÊNCIA SONHADA
A CONTA EXAGERADA
A VIDA ARRUINADA
COERÊNCIA ABANDONADA
AINDA EXISTE LUZ
PARA EXISTIR A ESCURIDÃO

NOTA SOBRE A FELICIDADE DA PUBLICAÇÃO

NOTA SOBRE A FELICIDADE DA PUBLICAÇÃO

O ANONIMATO VIRA PASSADO
E A MÚSICALIDADE GANHA CORDAS E NOTASS
E SÃO AFINADAS POR GRANDES MESTRES
QUE DÃO O SUPORTE NECESSÁRIO
PARA O COMEÇO DE UMA GRANDE OBRA
E O DESEJO QUE VIBRA NO QUERER
DE CHEGAR AS MENTES DISTANTES
A POESIA DOS BRAVOS GUERREIROS
QUE NO SANGUE REPOUSAM....

DUAL DE RIMAS > TEMA: ESSES ANIMAIS

ESSES ANIMAIS

(Fernanda &Wilson )

a curiosidade
matou
o gato
na esquina
da avenida 9 de julho.

(Caris Garcia)

A ansiedade
retirou
o pássaro
na torre
da rua do orgulho

A idéia
assombrou
o leão
da cova
da via do entulho

DUAL DE RIMAS> TEMA:VOCÊ

VOCÊ

(Fernanda &Wilson:)

vida de plastico
tão preocupado,
estilizado
pseudopolitizado
desce redondo, mas pensa quadrado

você é....
tudo o que querem que vc seja
cigarro, carro novo, TV e cerveja
amores, dissabores, esperança até


(Caris Garcia)

vida da rocha
tão deslizante
invariável insconstante
marginalizado
desce um anjo,
cresce alienado
vira marmanjo
se transforma em mariola
não enfrenta a vida
esquece o arcanjo
permanece sempre na terriola

você foi
tudo o que de vocÊ desejaram
inocência, primeiro gracejo
falar,engatinhar,andar,
porém em algum momento
onde a vida começa
o sonho termina
a esperança cessa
a linha do horizonte acaba
e onde a alegria se desvia...
neste momento
você passa a ser
quem hoje você é
nem joão nem josé
que o trabalho baniu
só será apenas mais um
que sem tentar desafiar a vida...
desistiu

DECLARAÇÃO À MINHA METADE

Declaração à minha metade
(Que se faz presente em meus dias e noites)

Amor incondicional que me abate
àquele que me completa
Hoje percebo que os problemas
aparecem e somem
assim como as tempestades
que ensurdecem nossos órgãos
e logo em seguida se transforma
em primavera morna
o importante é que estou ao seu lado
e você ao meu
juntos numa valsa eterna
que não cessa
que vibra nossos pés
descalsos sobre a terra fria
que nos refresca da estação
chamada verão
tenho você
não preciso de mais nada...

TRANSIÇÃO

(Fernanda)
...e eu me distraio, me recolho,
enquanto vocÊ pergunta, acusa e desconfia
conversas longas, palavras vazias
e agora é o momento, olho no olho


quero a verdade, ainda tenho medo
não é essa a imagem que quero no espelho

... e eu me machuco, na dor eu repouso
enquanto eu busco sossego, busco a paz

e agora é o momento, não, não , não negue mais

(Caris)

os motivos vão se espalhando
a brisa chega suave e perfumada
os argumentos se encaixando
palavra quebrada
o vinho suave que desce
o incenso de ópio acendo
parece tudo óbvio me rendo

os olhares apaixonados
acabam por se esquecer
quais problemas vieram trazer
e tudo se resolve se acerta
vai porcelana inquebrável!
que se mostra a mim tão insuperável
me abate com sua beleza surreal
em seu abraço letal
desmaio...adormeço...


(Fernanda)

à noite

...e eu me distraio, me recolho,
enquanto vocÊ pergunta, acusa e desconfia
conversas longas, palavras vazias
mas agora é o momento, olho no olho

quero a verdade, ainda que tenhamos medo
pois não é essa a imagem que quero no espelho

eu te olho e já não mais te reconheço,
será só a tristeza o que mereço?

... e eu me machuco, na dor eu repouso
enquanto eu busco sossego, busco a paz
dá-me sua mão, só esse esforço,
quero vc, quero o que sente, quero o que me faz

FELIZ

(Caris)

E como aurora que surge sem pedir
e aquece minha madrugada
entorpece toda a longa estrada
o músculo da face esquecida
se põe novamente a sorrir

nada mais desejo que o doce segundo
que distrai e enlouquece meu mundo
o retrato intenso e profundo
daquele que se faz raio
fito os olhos e desmaio
e incide paralelamente ao eixo principal
tudo que acontece fora do normal
e reflete passando pelo foco do espelho esférico
arrebenta se faz histérico
ao ver a própria imagem deturpada
se esgueira da voz rajada
e com a íris avermelhada
repõe a energia tomada
para
lembra
e sorri

sábado, 9 de fevereiro de 2008

O QUE RESTA...

O QUE RESTA

VER A VIDA DE TRAZ PRA FRENTE
ENTENDER O QUE É SER GENTE
EM JÚBILOS DAS CONQUISTAS ESTAMPADAS
DAS VITÓRIAS REDIGIDAS NAS CARTAS SELADAS
DOS LEITOS BRANCOS EM POTES DE VIDRO GUARDADOS

LENTIDÃO DE DEDOS QUE HOJE TREMEM
DA MENTE QUE ESQUECE O PRESENTE
E SE VANGLORIA DO ETERNO PASSADO
DAS FAZENDAS E TECIDOS RENOMEADOS
DAS COSTURAS DE UM TEMPO OUTRORA SAGRADO

LINEAR É A RETA DOS DESPADRONIZADOS
CULTURA SEM DONO, LUCRO LUDIBRIADO
REGISTROS PÁLIDOS DA FOTOGRAFIA MARGEADA
ESQUERDA E DIREITA SE FUNDEM NA DANÇA DO NADA

PRESENTE E PASSADO
REMORÇO LIBERADO
ESFORÇO SUGADO
VOZ CALADA...