Musics....

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Ágape das constelações (Caris Garcia)

Ágape das constelações
(Caris Garcia)



























Em teu orquidário ousei e pairei
Ternário borboletear aqui e ali
Escureci a noite para ocultar a lei
Rendendo todo ouro e sal do Império de Mali

A luz da minha lua escondi
Para ouvir você recitando "Os Vedas"
Esqueci de tudo... Desvendei o teu "hindi"
Para tu passares margeei de flores da surreal alameda

Além das palavras e sentidos
O teu yoga me elevando, a ascensão
Minha linhagem que antes havia caído
Germinou no jardim da tua absolvição

Parando de vez a minha mente
Deslocando meu corpo, me dissolvendo
Desaguando no "S" dos seus afluentes
Esta dança, em teu comando me rendo...

A sutileza da posição de lótus
Os movimentos firmes e equilibrados
As pausas e medidas do honroso status
Deslizando nas dunas do teu deserto encantado

Cada postura libertando os sentidos
Livre dos medos e receios. Dominados!
Prado de estrelas cintilando o tom colorido
Oásis das constelações! Desvenda meu postulado...

Abrindo minhas translúcidas asas
Mostrando ocultas cores que desabrocharam
A súplica que queima nas tuas intensas brasas
As ninfas suavemente"nicchio agape" sussurraram

As mãos, braços e mãos em suaves gestos
Beijando o ar, rompendo anseios
Tomando a essência da vida no manifesto
Esse amor não tem fim...Nem meio...

























*Recomenda-se ler a poesia ouvindo as indicações musicais nesta ordem:

2 comentários:

Yehrow disse...

Caris,boa tarde! Quanto mais a leio mais me embriaga, sua fórmula perfeito de comunicar sua alma. E eu canto e danço em teus jardins, a lua desponta e sorri da minha desventura que persisti. Beberei todo o oásis mas, em vão, bem sei não saciará minha sede. Porque maior que eu é o deserto que avança por minha alma e me consome. E somente poesias aliviam àquele sempre a um passo do cadafalso. Sempre linda e enternecedora poesia tal qual as anteriores irretocáveis. Aplausos! Yehrow, Adônis ou quem quiseres eu seja.

jackeline disse...

lindo migaaa
nao é mais um "padrão" poético que lemos, há uma clara evolução na linha de pensamento, contemporizando e alternando viagens ao âmago de v. pessoa.
a nós... sentemos e apreciemos; passa a ser "dispensável" o comentar.
bjssss
jacke