Musics....

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Tijolos amarelos (Caris Garcia)

Tijolos amarelos
(Caris Garcia)


























Eu sou a bússola tua!
O teu norte! Único rumo...
Infindável super lua
As tuas flores eu perfumo

Guia o teu campo magnético
Para o centro da minha gravidade
Dando fé e esperança ao cético
Ah... Para se amar não existe idade...

Jaz, desperta e adormece no meu pranto
Maestro de todas as minhas naus
Só para ti, o meu mais doce canto
Siga meus tijolos amarelos! Que tal?

Dissolve-se em outros jardins
Mas só em mim encontra a paz
Para teu sorriso, entrego meu arlequim
Dando um jeito na alegria do mais e mais...

Porque almas tão unidas
não se vê em nenhum outro lugar
Ainda que a caminhada seja sofrida
Somente em teu porto decidi abancar

Eu descarreguei todo o mal
Que habitava lá dentro de mim
No teu infinito mar, no teu sal
Agora tão pura, inocente... Beija-me!

É aqui que os olhos de buda
Nada falam, mas tudo sabem
Se às vezes eu paro e fico muda
É porque estou a eliminar lágrimas da tua bagagem

Meu patuá de sementes tão protetoras
Escolhidos em teu divino jardim
Você o diamante, eu a mineradora
Só eu olho pra você desse jeitinho... Assim...

Aqui dentro, onde você se esvazia
Para se preencher do puro fluído
O teu elemento e o meu...Combustão da alquimia!
Foi ali que dia após dia o amor tem nascido

A intensidade do "você" e "eu"
O fenômeno peculiar e forte dessa aliança
Vislumbra e exclama até o mestre ateu
"Amar-te, amar e amar!" Renasce a alma de criança...

Jamais sentida em outra parte
Não se perde, nem se desfaz,
Junção de planetas...Vênus e Marte!
Perspectiva única! Atravessando portais...

Este caminho, o meu caminho
Somente o teu coração conhece...
Em tupi, a casa de "ssa'pé", o nosso ninho!!!
O louvor da minha única prece...

De todas as minhas chaves, és criador
Até das mais ocultas janelas e portas
Na densa escuridão, cito Virgílio "Omnia vincit amor"
Entregando-te um cântico ecoado em língua morta...

Percorre o caminho de Compostela
Enfrenta o fogo e a tempestade do ar
Descreve o rio Paquequer de Alencar
Erga o véu, beije e diga sim, na Sistina Capela...



https://www.youtube.com/watch?v=Ah6DA7wx9X4

https://www.youtube.com/watch?v=hrrmxFKl_a0

Um comentário:

Yehrow disse...

Não estou conseguindo postar no blog "Momentos..." Este é o comentário que iria postar lá. Se inoportuno exclua. Boa noite.

Compartilhando sentimentos comuns me surpreendes dia após dia. A natureza me encanta o tanto quanto a tornas poesia e quando os versos sem palavras declinas a olhos alheios tão doces e enternecedoras imagens, estas, únicas que nem mesmo o maior literato poderia traduzir e ou plagiar. A cada dia um quadro singular que não mais irá repetir-se porque somente se deu no exato momento que você estava lá para clicar internalizando e eternizando o instante. um esplendor! Beijos...

Você é Lua.

No céu azul índigo o sol a vê todo o dia e a acompanha
A lua vive lacrimosa faz manha ressentida, triste, fugidia
Com ciúmes desse cuidado
Até dele apartou-se ela
Resolveu ir minguando
Impressionada, triste
Sofrendo dor de amor
Guardando seu reluzir
Alheia a todos os pedidos
Resolvida a ninguém ouvir
Como gazela corre e se oculta entre nuvens escurecida
Indiferente as rogativas da noite e das miríades estrelas
Agora é uma lua nova querendo ser pra sempre esquecida.