Musics....

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Postulado da tristeza

Postulado da tristeza
(Caris Garcia)

Envolve tudo e nada ao mesmo tempo
Algo que engloba a vida como um todo....
O sopro deveras fosse turbulento
a estrada, quem dera fosse lodo...

Junta todos os amores não vividos
e as paixões que faltaram coragem...
A melancolia de um choro já banido
Talvez tão denso quanto à própria bagagem...

Como tantas outras, sempre a mais pesada
Até as pétalas desmaiam com algo tão forte
Roubam da sabedoria a tristeza na alma soldada
Não se viu ainda dor assim, neste porte...

Gotas do próprio sumo do abatimento
um poder com maior autenticidade
Narrar, da infelicidade, o testamento
e quebrar os tabus da barbaridade

Na exploração deste enredo sem precedentes
Descarrega-se a morte dos sonhos adocicados
de lugares saudosos jamais visitados
em uma estagnação deveras ascendente

Das ruelas de outrora sente-se até o cheiro
o barulho antigo que no local circundava
lembranças remotas da vida do barqueiro
que na areia movediça seu azar ainda cava

De tão abstratas brotam concretas percepções
que declamam um amaldiçoado vazio interno
Que massacram os momentos de privações
quase um abraço ao precipício tão fraterno

Música perturbada, das almas e seus lamentos
A calma e a frieza da luz ali enterrada
Apenas o olhar que perdeu o seu sustento
A certeza que o brilho perdeu-se da estrada

A tesoura rente na corda bamba de ais
é a tristeza da descrença de um jamais...
Quiçá para valorizar a tal da alegria
Ou para a mente recordá-la de noite e de dia

indescritível a falta de força deste desânimo
Tal qual um leão se recolhendo em sua cova,
pressentindo o último sono magnânimo
traria o peso da saudade como prova


No oceano da alma se oculta a caixa preta
que não desenha marcos, nem mais caminha
Recolhida suas asas cinza, outrora borboleta
a estaca em seu peito, sua fada madrinha

Exaustivo até tentar aqui descrever
o que o passado ensina sobre esta guerra...
aprende-se a vencer as batalhas do mundo
menos a própria, que a aflição encerra...

2 comentários:

fernanda disse...

que contraste, a felicidade e agora, a tristeza!!! que profundidade.. algo está acontecendo?

jackelinecollor disse...

Da mesma forma que o passado nos condena... o mesmo passado pode ser o exemplo para o futuro. Cabe a nós a opção do bem ou mal.
É correto afirmar que um dia pereceremos, mas depois que vc "se perpetua" pelas palavras... o futuro (físico) é redundante.
Menina! A cada dia é nítida a sua evolução e aprofundamento na forma de pensar e exprimir (ai! que inveja).
P-A-R-A-B-É-N-S.