Musics....

quinta-feira, 19 de julho de 2012

3. gota - A Dúvida


A Terceira gota - A dúvida
( Caris Garcia)

A doceira e o tacho de doce
três minutos que mudam o mundo
minha vida, você que trouxe
uma vida, um segundo...
 
Essas horas cheias de filosofia
D'uma expressão de significados
quase sem ar ou asfixia
o grito hoje não é abafado
 
A perfeição consistente fazendo sentido
O ato de se jogar com olhos abertos
o choro inconsciente é o melhor amigo
o corte nem todo dia é desperto
 
Senso crítico tão detalhado quanto iluminado
A flor de um vulcão perfeccionista
que desperta este ar tão abençoado
a escrita na alma, a lei abolicionista
 
No limiar entre a falha e o perfeito
O fio da meada da estrofe despreocupada
não é todo verbo ou adjetivo que aceito
Mas na mente ainda é tudo ou nada
 
Descrever momentos que o tempo para
Sem hora de partida nem de chegada
E essa paisagem eloquente e rara
E eu no abismo, na beirada...
 
O pensamento que flui livremente
A arca perdida e achada todo dia
não há corrente condizente
Na corda bamba não há acrobacia
 
Arcos trigonométricos e o tridente
não perceptíveis as viagens no tempo
Alma livre e corpo doente...(Ah! A rima deprimente...)
não há equilíbrio? Não há alento ?
 
Rompendo o espaço e tempo local
como um sino repleto de mercúrio
a sinfonia quase celestial
na poesia não se cometem perjúrios
 
Descarregando eletricidade nas afirmações
Decifrando códigos tão alheios aos demais
livre da hipocrisia e abstrações
o chalé, a montanha, condições ideais...
 
Evidências tão claras na estrutura camuflada
só entende quem as vê, digere e emana
incendiando dentro de mim esta estrada
minhas interrogações continuam a paisana...

Um comentário:

jackeline disse...

É preciso dizer que se ama? Não é necessário. A verdade flui como corre o sangue por todo o nosso corpo, corre o amor por toda a sua alma. Não é uma alma guerreira na denominação, é uma alma guerreira na essência que, pra se manter viva... peleja pelo corpo e pelas letras... todos os dias.
Não há mais o que falar, há que se parabenizar, senão louvar.
Bjs
Jacks