Musics....

domingo, 26 de maio de 2013

O dia que a terra parou (Caris Garcia)


O dia que a terra parou
(Caris Garcia)

Aquela foi a primeira vez
Que a Terra parou para nos ver passar
O olhar inocente, a brisa fresca nos beijando...

Era a mais simples a nossa dança
Tão natural quanto as flores brotando
Um ritmo lento, batida mansa
Passos sincronizados, ecos germinando

em nosso ritmo dançavam as folhas
As ruas subiam e desciam no mesmo lugar
Os vinhos, as taças e as rolhas
Uma gruta de sensações no altar

que tudo seja determinado pelo luar
alegorias de cristal para contemplação
um buquê de rosas brancas para namorar
o infinito é apenas a nossa extensão

Hoje, nada de ficar à deriva...
em terra joga sua âncora o marinheiro
Você ancorou em mim! Viva!
Com você não existe roteiro ...

3 comentários:

Jorge Teixeira da Costa disse...

Adorei o texto.
Ensina me, não foi brincadeira.
Falei serio.
Só toma cuidado para não se expandir demais.
Ficou lindo.
Abraços.

jackeline disse...

o viver conforme a brisa... suave, mansa, sedosa... o tempo para, mas a brisa segue lembrando o viver. Não há o que explicar essa poesia miga, há que se sentir.
Bjsss; Jack

Anônimo disse...

O dia que a terra parou eu olhei para o céu de azul intenso e entendi o motivo de sua cor.
São traços perfeitos de brilhos que só tenho quando caminho ao seu lado. Parabéns.