Musics....

terça-feira, 18 de junho de 2013

O despertar na Taberna (Caris Garcia)

O despertar na Taberna
(Caris Garcia)















De Ícaro, as asas de cera
Congeladas pelo nosso inverno
distantes do abismo, na beira
fora do meu caminho interno

Cometi um crime na sua taberna
Tão suavemente para você olhei
perdi o paraíso, não senti a perna
depois do quinto copo desmaiei

Naquela noite banhada de estrelas
Deixando para trás erros da adolescência
Avançando na ponte da consciência
Abri meus olhos num mar de aquarelas

Você dissera: "a rocha fria continua lá
esperando a nossa calorosa chegada...
foram quantas vidas sem meu alvará?
Encontrar você, foi a mais difícil jornada...

Em cada olhar, em cada verso, rima
eu lhe encontro aqui, em meu coração
a essência deste amor será minha sina
um baile nórdico em outra dimensão"

Um milhão de anos seguindo seus passos
e por mais um milhão estarei ao seu lado
Sou sua pintura inacabada...Doce Picasso...
O par perfeito... Cânticos da noite entoados

Não devemos se quer respirar!
pois nenhuma prece seria suficiente
Sua divindade em meus 9 mundos abrigar
Esta alma imaculada, nobre e valente!

Não posso mais continuar caminhando
nas tempestades das noites de Outono
Neste reino dourado você está no comando
Entrego meu coração, minha vida abandono...

Mais um brinde! Eu lhe proponho
Por hoje, mais nenhuma bebida
Pague logo toda a sua dívida

e acorda desse infinito sonho...

Um comentário:

Alex Raymundo disse...

Fantástico (literalmente)! Os Nove Mundos me fizeram lembrar do meu conto "Charles, Anjo 7.62". Tudo a ver :)