Musics....

domingo, 29 de agosto de 2010

Luz à consciência

Luz à consciência
(Caris Garcia)

Retorno a estrada sinuosa a minha frente
quase uma mistura em preto e branco
a neve tomando conta do ambiente
reforçando ainda mais o gélido pranto

Sinto medo em seguir avante
mas continuar é necessário
após passar da porta brilhante
impossível permanecer sedentário

passos de extrema cautela
não vejo ainda o destino final...
as pernas em direção a cidadela
uma força bruta, quase anormal...

Aqui é muito baixa a temperatura
o frio cumpre o destino mais implacável
Esvazio do peito tanta amargura
Vejo a árvore, pela morte, a responsável

Aproximo-me lentamente
Meu coração se acelera
eu era só uma adolescente
mas vivia fora da atmosfera

vou tendo consciência dos fatos
as lembranças aparecem em minha mente
Tudo ficara em anonimato...
Como desejaria viver novamente!

lembro da família e da infância,
dos brinquedos e brincadeiras
das comidas da avó em abundância
dos risos sem eira, nem beira...

Ah divina árvore...Estou aqui, ao seu lado...
experimento uma tristeza tão profunda
é a primeira vez que exponho o machucado
Meu choro supliciado pedindo a tua ajuda...

Outros sofreram com a minha ação
Lastimando a minha repentina partida...
clamo ao teus pés a minha absolvição
Dá-me a tua doce e suave acolhida

Foi tão rápido o acidente
Era para eu estar ali? Não...
Mas minha atitude displicente
Causou a desmedida confusão...

As inconseqüências são atos
que voltar atrás, não podemos...
Alguém havia me alertado
mas o remate foi sucumbir ao extremo

Agora, após passado tanto tempo
a mim mesmo, perdoar é preciso...
Deixar de lado todo o acontecimento
e encarar de frente o prejuízo...

Continuar nessa pequena estrada
será apenas, o passo primeiro...
na bagagem a jornada desperdiçada
e a sede de vida, do guerreiro...

Não caço sozinha esta nova chance
E a esperança alumia minha alma
Ainda verei na estrada, de relance
Primavera forte, livre do trauma...

3 comentários:

jackelinecollor disse...

Presumo que na vida sempre terá uma porta à nossa frente, abrir ou fechar, parar ou entrar... ainda somos donos do nosso destino, ainda podemos controlar a nossa vontade ou podemos esperar a porta vir à nós - o que pode nos fazer sofrer! Eu escolhi ler o seu texto; escolhi ser feliz! rsrs
Parabéns pelo profundo e íntimo texto.
bjs

Rodrigo disse...

Vida !
"Continuar na sua pequena estrada
será apenas, o passo primeiro...
na bagagem a jornada desperdiçada
e a sede de vida, do guerreiro..."

Esse trecho me deixou muito emocionado, pelos detalhes das palavras e na maneira de olhar a vida...

Guerreira, vejo você a unica que conseguiu chegar no meu coração, passar uma vida, curtindo cada momento, cada palavra e poesia...

Amor, a estrada da vida é pequena e continue fazendo que você faz de melhor, brincando com as palavras com suas lindas poesias...

Parabéns..

Bjs

De seu marido Digo

fernanda disse...

realmente perfeito, um pouco saudoso, talvez? eu me lembro daquela adolescente tbm!