Musics....

sexta-feira, 25 de julho de 2014

A busca do Romantismo (Caris Garcia)

A busca do Romantismo
(Caris Garcia)
Ilustração: Teigi Hirae
























Ah...Se o romantismo se apoderasse
Fazendo desta classe um só leito
Encheria de conceito o enlace
Mas ainda tem o "Se". Deuses, tomem jeito!

Desceriam as rosas nuvens do céu
O fogaréu da prosa. Quem se renderia?
O terno e silencioso escarcéu
Preguiçoso sol fraterno...Branco se vestiria?

As flores do saber eterno e infinito
Ficariam a mercê nas portas da Rainha de Sabá
Lume do inverno dos amores. Está escrito!
Café quente... Bolo de goiabada com fubá

Qual combustível propulsiona esta jornada?
A amazona na tua estrada num elo de constelações
Inocente prima-dona e os anjos na arquibancada!
Floresta muda...Arranjos calados... Abstenções?

As Andorinhas desenhando a cor da união
Venerando-te! Dando forma nesta ladainha
Roubando para ti a mitologia...A pura retidão!
Nada poderíamos temer... "Aine" é nossa madrinha...

A tua luz invadiria a caverna tão minha
Meu Rei, eis sua Rainha! Jazem os tabus!
Proclamo: Não guio mais a estrada sozinha!
Soberano! Rege meu xadrez... Ao teu título faz jus...

E com uma flor de lótus na mão direita....
Na espreita a graciosidade desta lua cheia
Permeia a nua vivacidade que a floresta enfeita
Sou sua eleita! O que resta colocar nesta tua ceia...

Os vasos purificados na dança da arritmia!
As cavernas despertariam os ursos do inverno
E a brisa das praias soprariam da paz a melodia
Minhas lágrimas por você, hiberno...

E o grito, nos peitos vis, seria ouvido?
a virtude do defeito, o conflito da nobreza
Delimito o universo da sutileza a cruzar o mito
Entregar ao verso nosso castelo, a fortaleza

Se eu deixasse de percorrer o meu delírio
Atrás das jornadas, o impasse da sabedoria
Nos campos eu voaria, tocando os Brancos lírios

A minha alma desfrutando do néctar da sua calmaria

3 comentários:

Yehrow disse...

A poesia lhe flui da alma para nossas mentes e coração, as palavras bem sabes dizer trazendo de tempos imemoráveis os deuses. Seus mitos, e tragédias colore de tal forma que o verso vem a ser um hino de amor. Parabéns poetisa.

Noslen Ariexiet (Direitos Reservados) disse...

A sua forma de escrever tem uma cadência singular e ímpar! Belíssima poesia! Ah, o romantismo! Abraços musicais!

Isis disse...

Se poesia, fabula e encantamento, se historia, singular sentimento, o amor tudo suporta, tudo espera... parabens pelas palavras doces e singelas...